quarta-feira, 20 de abril de 2011

Chico César causa polêmica ao criticar “forró de plástico”*

por Fernanda Fahel


O músico Chico César causou grande polêmica ao fazer um comentário sobre os artistas de sucesso participantes do “Maior São João do Mundo”, em Campina Grande, na Paraíba. Atual secretário estadual de Cultura daquele estado, o artista afirmou que o governo não apoiaria a presença de “bandas de forró de plástico” no evento junino. Por meio do termo, Chico se referia a bandas como Aviões do Forró e Magníficos, que são sucesso de vendas e lotam os shows.

O músico sofreu diversas críticas pela declaração, inclusive do secretário de Desenvolvimento Econômico de Campina Grande, Gilson Lira, mas manteve sua opinião. Em nota oficial à imprensa, Chico César defendeu que o Governo precisa valorizar os artistas menos populares. "Não faz muito tempo vaiaram Sivuca em festa junina paga com dinheiro público aqui na Paraíba porque ele, já velhinho, tocava sanfona em vez de teclado e não tinha moças seminuas dançando em seu palco", escreveu o músico e secretário.

Por conta da polêmica, o artista foi parar dos Treding Topics brasileiro do Twitter. Leia a íntegra da nota de Chico César:

"Tem sido destorcida a minha declaração, como secretário de Cultura, de que o Estado não vai contratar nem pagar grupos musicais e artistas cujos estilos nada têm a ver com a herança da tradição musical nordestina, cujo ápice se dá no período junino. Não vai mesmo. Mas nunca nos passou pela cabeça proibir ou sugerir a proibição de quaisquer tendências. Quem quiser tê-los que os pague, apenas isso. O Estado encontra-se falto de recursos e já terá inegáveis dificuldades para pactuar inclusive com aqueles municípios que buscarem o resgate desta tradição.

São muitas as distorções, admitamos. Não faz muito tempo vaiaram Sivuca em festa junina paga com dinheiro público aqui na Paraíba porque ele, já velhinho, tocava sanfona em vez de teclado e não tinha moças seminuas dançando em seu palco. Vaias também recebeu Geraldo Azevedo porque ele cantava Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro em festa junina financiada pelo governo aqui na Paraíba, enquanto o público, esperando a dupla sertaneja, gritava 'Zezé cadê você? Eu vim aqui só pra te ver'.

Intolerância é excluir da programação do rádio paraibano (concessão pública) durante o ano inteiro, artistas como Parrá, Baixinho do Pandeiro, Cátia de França, Zabé da Loca, Escurinho, Beto Brito, Dejinha de Monteiro, Livardo Alves, Pinto do Acordeon, Mestre Fuba, Vital Farias, Biliu de Campina, Fuba de Taperoá, Sandra Belê e excluí-los de novo na hora em que se deve celebrar a música regional e a cultura popular."

(notícia retirada do site Bahia Notícias)

3 comentários:

Igor Morais Vasconcelos disse...

Isso aí Chico Cesar =, parabens. É isso que se espera de um secretário de cultura

roye disse...

Consistent with "reverse positioning" understand the REAL Second coming would equate with The Matrix's Anti-Christ, the fake battle of good and evil which will come at the end.
I have spoken on this issue in years past. Understanding how they use the political environment to redefine people's value system, realize anyone who speaks of the old world and its ways will envoke hatred. So when/if the Anti-Christ comes along speaking of reverting back to what liberalism would consider repressed and immoral may be the only hope to salvage the god's favor and keep moving forward rather than begin the 1000 year clock. The fake Second Coming will feed into this political enviornment.
Cheap Flights to Harare
Flights to Harare
Harare Flights

Deo Mário Siqueira disse...


Bom de estar nesse momento em Jacaraípe/ES é estar fora do alcance da fúria dessa galera (sic) cujos cérebros nada conseguem processar senão o que tocou na novela ou, pior, naquele domingo que de coerente só tem o aumentativo:ão. Sua atitude, Chico, nem sequer carece de parabenização por ser de uma coerência óbvia e perfeitamente identificada com você e sua ARTE.
Ah!
Alem de você e Rita, eu também odeeeeio.